Semarh e Seagri estudam integração entre os programas "Água Doce" e "Dom Távora"

09 de Julho de 2018, 11:41

O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Olivier Chagas, esteve reunido na manhã desta segunda-feira, 9, com a gestora da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Rose Rodrigues, e a missão do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).


O objetivo é firmar parceria para integrar as ações dos programas Água Doce, coordenado pela Semarh, e Dom Távora, capitaneado pela Seagri, ampliando os benefícios para a população rural do semiárido sergipano.


Durante a reunião, Olivier Chagas disse que a proposta do Fida, de unir as ações dos programas, já que o Água Doce atua em 17 municípios em que o Dom Távora está implantado, é pertinente e que se assemelha com a linha de raciocínio nutrida pelo governo de Sergipe para combater as desigualdades em comunidades carentes.


“O Estado desenvolve dois programas muito importantes, um via Semarh, denominado de Água Doce, e outro na Seagri, que é o Dom Távora. Estamos conversando com a secretária Rose para que possamos desenvolver essa parceria e juntarmos ações dos dois programas nas comunidades em que trabalhamos em comum. O Fida veio nos ajudar a sedimentar essa discussão e nós esperamos, em breve, colher resultados positivos. O Água Doce atua na área do Dom Távora, áreas pobres, com índice de mortalidade infantil. Queremos dar uma assistência ainda melhor a essas regiões mais carentes”, avalia Olivier.


A secretária Rose Rodrigues destaca que o Dom Távora tem passado por reformulações, tendo como novo coordenador Gismário Nobre, e que, recentemente, realizou o financiamento de 50 planos de negócios, beneficiando mais de 6.500 famílias. Com a união dos programas, afirma ela, as ações serão potencializadas.


“Estamos recebendo a missão anual do Fida. O Governo quer articular as secretarias para o bem comum. Estamos discutindo como o Água Doce e o Dom Távora podem se alinhar e potencializar os investimentos públicos que estão sendo desenvolvidos nessas comunidades e encontrar forma de levar melhorias e combater a pobreza rural. Nesse sentido, quem ganha são as comunidades mais carentes e que precisam do Estado”, sublinha.


O consultor do Fida, Leonardo Bichara, ratifica a parceria e explica que alguns projetos são direcionados a comunidades para o incentivo à produção e segurança hídrica. “Nós temos 15 municípios no sertão, Baixo São Francisco e na região Centro-Sul do Estado, onde financiamos projetos produtivos para a segurança hídrica. E a Semarh já tem vários programas nessa região. Então, buscamos uma sinergia para fazer com que o investimento da secretaria seja acoplado ao investimento do Fida nessas regiões. O respaldo do secretário foi excelente”, afirma.


A Missão do Fida fica em Sergipe até sexta-feira, 13, e tem nove consultores, entre eles, Pedro Melloni, especialista em meio ambiente e projetos produtivos, que também participou da reunião, ao lado do novo coordenador do Dom Távora em Sergipe, Gismário Nobre.


Programa Água Doce


O Programa Água Doce é uma ação do Ministério do Meio Ambiente, por meio da Semarh. Em Sergipe, a meta é implantar 33 sistemas de dessalinização. São 25 sistemas que disponibilizarão água potável com qualidade numa primeira etapa e oito na segunda etapa. Ao todo, serão 75 comunidades beneficiadas em 14 municípios, a partir de um investimento total de R$ 6.652.305,90, beneficiando 2.757 famílias. Até agora, em todo o Estado, o Programa Água Doce já contemplou 2.170 famílias. Os frutos das ações executadas hoje serão colhidos em breve, garantido a segurança hídrica da futura geração.


Projeto Dom Távora


O Projeto Dom Távora objetiva incrementar negócios na área rural, com foco nas cadeias produtivas e na sustentabilidade. Contratado em 2013, por meio de cofinanciamento com Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola, o Projeto prevê investir US$ 28 milhões – financiamento de US$ 15,7 milhões do Fida e contrapartida estadual de US$ 12,3 milhões- e tem por meta atender dez mil famílias de pequenos produtores rurais, beneficiando 40 mil pessoas, através da implementação de 300 planos de negócios. O Projeto atua em 15 municípios dos territórios Agreste Central, Centro Sul, Baixo São Francisco e Médio Sertão Sergipano.


Entre os municípios beneficiados estão Nossa Senhora Aparecida, Carira e Pinhão (Agreste Central); Tobias Barreto, Poço Verde e Simão Dias (Centro Sul); Graccho Cardoso e Aquidabã (Médio Sertão); e Pacatuba, Brejo Grande, Ilha das Flores, Neópolis, Santana do São Francisco, Japoatã e Canhoba (Baixo São Francisco).


Foto: Lucas Noronha/Semarh


Por Lara Aguiar