Polícia de SP encontra helicóptero usado em emboscada no Ceará

28 de Fevereiro de 2018, 20:03

A Polícia de São Paulo encontrou o helicóptero usado no Ceará, numa emboscada que executou dois chefes do crime organizado.
\r\n
\r\nO piloto do helicóptero, Felipe Ramos Morais, ainda está desparecido.
\r\n
\r\nA polícia já sabe que ele tem duas lanchas, avaliadas em R$ 1,3 milhão. Tentou vender uma delas pela internet, a “Sem Futuro", mas a justiça bloqueou a venda. Policiais civis foram atrás dele no edifício Solaris, em Guarujá, que já foi alvo da Operação Lava Jato.

\r\n\r\n

O edifício Solaris ficou famoso por causa do caso do tríplex envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
\r\n
\r\nFelipe não estava em casa. Ele sumiu desde o assassinato de dois chefes da facção paulista que comanda crimes de dentro das prisões: Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca. Eles foram executados na região metropolitana de Fortaleza, há duas semanas.

\r\n\r\n

Os policiais acreditam que o piloto faça parte da quadrilha, e estavam em busca de armas, mas saíram do apartamento de Felipe levando só objetos pessoais.
\r\n
\r\nEle foi visto pousando e decolando num helicentro, um lugar onde poderia abastecer e guardar os helicópteros. Depois do crime, a polícia foi lá à procura do helicóptero usado na emboscada, a Paca e, a Gegê do Mangue, mas encontrou aquele hangar vazio.
\r\n
\r\nA polícia só encontrou o helicóptero nesta quinta-feira (1º), abandonado no meio do mato, em Fernandópolis, no interior de São Paulo.
\r\n
\r\nA polícia confirmou a rota que ele fez no dia 11 de fevereiro, quatro dias antes do crime no Ceará.
\r\n
\r\nEle decolou de um hangar em Arujá, na Grande São Paulo, e pousou no helicentro de Guarujá, no litoral paulista, segundo a polícia, para buscar Wagner Ferreira Silva, o Cabelo Duro, suspeito de também ter participado da emboscada, no Ceará. Cabelo Duro foi executado na porta de um hotel, em São Paulo, na semana passada.
\r\n
\r\nDo Guarujá, ele seguiu para São Caetano do Sul, no ABC paulista. Foi a última vez que os radares identificaram o helicóptero.
\r\n
\r\nA Aeronáutica acredita que, para viajar de São Paulo até o Nordeste, Felipe tenha usado uma rota que fica fora da área de controle aéreo.
\r\n
\r\nFelipe já foi preso três vezes por envolvimento com o transporte de drogas.

\r\n\r\n

Fonte: G1-SP

\r\n