Ouro no Pan, brasileiro evoluiu na natação para ser melhor que irmão

08 de Agosto de 2019, 08:16

Logo em sua primeira edição de Jogos Pan-Americanos, o nadador Fernando Scheffer já faturou duas medalhas: uma de ouro e uma de prata. O que poucos sabem é que o principal motivo para ele levar o esporte a sério e se tornar mais competitivo foi o desejo de ser melhor que o próprio irmão.


“Eu comecei a nadar em Canoas, interior do Rio Grande do Sul, numa academia de lá. Comecei por causa do meu irmão mais velho. A gente treinava junto”, contou Scheffer à reportagem do R7. “Foi o Augusto (o irmão) que despertou meu interesse e minha competitividade. Ele era melhor que eu e eu queria ganhar dele. Assim começou essa gana de melhorar... Para tentar ganhar dele”, completou.


Com apenas 21 anos, o gaúcho já pode se orgulhar de seu currículo. Desde 2018 no Minas Tênis Clube, onde ele afirma que sua carreira deu um salto, ele conquistou, em dezembro pasado, o título e o recorde mundial do revezamento 4x200 m livre em Hangzhou, na China, com tempo de 6min46s81, superando a marca anterior (6min49s04).


Agora, em Lima, na estreia um um Pan, foram duas conquistas: nos 400 m livre, ganhou sua primeira medalha em Jogos, e, nos 200 m livre, já faturou o ouro. Scheffer ainda competirá na sexta-feira (9), no revezamento 4x200 m livre, prova que o consagrou há pouco menos de um ano.


Pouco após garantir o ouro, ele avaliou a mesclagem de experiência e juventude na equipe brasileira. “Nossa seleção tem os dois extremos e vejo isso como algo muito importante. Essa galera mais jovem está vindo com tudo e a perspectiva para os próximos anos é muito boa”, disse o estreante nos Jogos.


FONTE: R7.com