Nestor Piva e Fernando Franco já apresentam melhoria na estrutura e no atendimento à população

19 de Maio de 2017, 07:28

Com o compromisso e empenho da gestão em oferecer uma assistência digna à população e reconstruir a qualidade de vida dos aracajuanos, a Saúde de Aracaju já apresenta grandes avanços. Um deles é a melhoria na estrutura e no atendimento aos usuários dos Hospitais Nestor Piva, Zona Norte, e do Fernando Franco, Zona Sul.

Em poucos meses da atual administração, apesar da dívida herdada da antiga gestão de mais de R$ 60 milhões somente na pasta da Saúde, já foi possível, por exemplo, fazer o abastecimento de medicamentos, insumos e lençóis nos dois hospitais, organizar as escalas médicas, restaurar macas e fazer a manutenção dos aparelhos de ar condicionado.

 Segundo o coordenador da Rede de Urgência e Emergência (Reue), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Teófilo Fernandes, a atual gestão encontrou os dois hospitais funcionando precariamente, mas, devido ao esforço da atual gestão, as mudanças já são notórias e a população voltou a ter mais assistência.

 "Encontramos os dois hospitais com dificuldades graves de operação e começamos imediatamente a fazer mudanças. Recebemos, por exemplo, as unidades totalmente desabastecidas e sem remédios simples, como dipirona, e agora as duas estão abastecidas com medicamentos e insumos, que são essenciais para o atendimento a população. Também já temos novos processos de compra em andamento para a chegada de mais produtos. Estamos recebendo materiais diariamente, e com o esforço da atual gestão, as melhorias no Nestor Piva e Fernando Franco são visíveis", disse Teófilo.

 Além disso, de acordo com Teófilo, outro grave problema encontrado nos hospitais era a falta de lençóis, mas isto já está sanado. "Encontramos praticamente os dois hospitais sem lençóis. A carência era muito grande mesmo e os usuários tinham que levar sua própria rouparia, mas esse problema já foi sanado e as duas unidades já possuem lençóis. Ainda queremos adquirir mais rouparias para deixar de reserva no estoque", conta.

Macas e ar-condicionado

Outra melhoria nos hospitais é em relação às macas e aos aparelhos de ar-condicionado, que estavam deteriorados. A SMS fez um contrato emergencial recentemente com uma empresa de manutenção e os equipamentos e as macas estão sendo recolhidos para reparos e já sendo devolvidos aos hospitais.

 "Estamos recolhendo as macas e os aparelhos de ar-condicionado dos hospitais para reparos e a empresa de manutenção já está devolvendo muitos deles, de forma prioritária, já que os materiais são essenciais para as unidades e atendimento à população. Há emendas parlamentares destinadas à Saúde que não foram utilizadas pela antiga gestão e já estamos resgatando todas elas para a aquisição de equipamentos, mobílias, bebedouros, macas, rouparias, tanto que o processo de licitação para a compra já está em andamento", informa o coordenador da Reue

Layout

No Nestor Piva, entre as mudanças importantes, está a da organização da estrutura da unidade. A observação masculina, que ficava em um espaço na entrada do hospital, está funcionando no local onde antes era a farmácia. Com essa reorganização, as observações feminina e masculina agora estão uma ao lado da outra, o que facilita o trabalho tanto dos médicos quanto dos enfermeiros e técnicos, que não precisam mais se deslocar de um extremo a outro do hospital para atender os pacientes destas alas. Já o local onde a farmácia funcionava agora é destinado ao atendimento dos pacientes de baixa complexidade, que precisam apenas de medicação rápida.

 Segundo o coordenador do Nestor Piva, Paulo Teles, a readequação proporcionou um melhor atendimento aos usuários. "Depois da readequação, sentimos a melhora no atendimento aos pacientes e também no trabalho dos profissionais. Temos agora uma ala somente para medicação rápida e isso é um grande avanço. Os pacientes não ficam mais amontoados e a assistência vai melhorar ainda mais com a chegada das macas", declara.

 As melhorias são confirmadas pela população. A aposentada Maria Aparecida Alves, por exemplo, esteve no Nestor Piva para acompanhar a irmã, Maria de Fátima Alves, e enalteceu o atendimento e o acolhimento dos profissionais. "Não temos nada para reclamar. O atendimento foi rápido, a médica foi muito atenciosa e as enfermeiras aqui da medicação rápida, também nos trataram com muita gentileza", disse Maria Aparecida.

Escalas e processo seletivo

Outra melhoria importante diz respeito às escalas dos hospitais. Teófilo Fernandes conta que, atualmente, as escalas médicas estão completas e que, em breve, será aberto um processo seletivo para a contratação de mais profissionais.

 "Encontramos as escalas totalmente incompletas e conseguimos organizá-las mesmo sem aumentar o quadro de funcionários. Há, de fato, ainda uma carência no quadro dos dois hospitais, mas os profissionais têm cumprido seus horários de trabalho e estamos cobrando sempre isso deles. Inclusive, em breve, lançaremos um processo seletivo para contratação de médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e outros profissionais. Assim, conseguiremos agilizar ainda mais os atendimentos e dar uma assistência de maior qualidade aos usuários", comenta.

 Além disso, com a contratação de novos profissionais, será possível implantar a Classificação de Risco nos dois hospitais. "Ainda não tem efetivamente a classificação por causa da falta de profissionais da saúde, mas, com o processo seletivo, teremos mais trabalhadores e com certeza implantaremos a Classificação de Risco. Porém, como o processo seletivo ainda não foi lançado, estamos contratando médicos, dentro da legalidade, para fazer o acolhimento imediato no Nestor Piva e, posteriormente, queremos estender para o Fernando Franco. Eles ficarão no consultório de frente", explica Teófilo.

Mudanças significativas

Já para a coordenadora do Fernando Franco, Joselita Sobral, entre as mudanças mais significativas feitas no hospital, está o abastecimento da unidade, tanto de medicamentos e insumos, a manutenção dos aparelhos de ar condicionado e a melhora na higienização do local.

 "Tivemos uma grande melhora no Fernando Franco desde que a atual gestão assumiu a administração de Aracaju. A unidade está abastecida, a higienização feita no hospital melhorou, e os aparelhos de ar-condicionado estão recebendo manutenção. Tudo isso tem acarretado na melhora do atendimento aos pacientes. Hoje, o hospital é outro", afirma.

A cabeleireira Renata Cristina Joaquim, que levou sua filha para ser atendida na Pediatria do Fernando Franco, concorda com a melhora da unidade. "Não tenho do que reclamar do atendimento. Minha filha foi bem tratada e o acolhimento foi ótimo. Todos os profissionais foram educados e cuidadosos com minha filha. O hospital está realmente melhor", declara.

Maior demanda

Como o inverno está se aproximando e, neste período, surgem as infecções respiratórias e as viroses, a demanda nos dois hospitais está maior. Por dia, no total, as duas unidades têm atendido cerca de mil pacientes. Sendo que, normalmente, a média é de 600 atendimentos.

O coordenador da Reue ressalta que Aracaju está atravessando um período sazonal, mas a população precisa se conscientizar também que alguns casos podem ser atendidos nas Unidades de Saúde da Família (USF).

 "Tivemos um aumento expressivo da demanda, por causa do período sazonal, mas a população precisa se conscientizar que, alguns casos, aqueles mais simples, podem ser atendidos nas unidades de saúde e não na urgência. As unidades estão prontas para atender os usuários, no entanto, muitos optam pela urgência e isso acaba superlotando os dois hospitais, mas ninguém fica sem atendimento. É importante ressaltar que a gestão está muito empenhada em melhorar cada vez mais a assistência e a partir do segundo semestre deste ano teremos avanços ainda mais significativos", conclui Teófilo. 

 

 

Fonte: PMA - Site Oficial

  • Medium d1a60b4d8f1d38f12f57116aa6a83a86
  • Medium d222468d82cfd586b9cd4cf621275156
  • Medium 5c83c7577912eacafd316ff0259f8fb7