Moradores da Zona Norte de SP enfrentam filas para vacinação contra febre amarela

24 de Outubro de 2017, 09:59

Moradores da Zona Norte de São Paulo formam filas nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) na manhã desta terça-feira (24) para imunização contra febre amarela mesmo antes da abertura das unidades de saúde.

Por volta das 6h, cerca de 50 pessoas estavam esperando a abertura da UBS Dona Mariquinha Sciascia, na Rua Dr. José Vicente, no Tremembé. O primeiro paciente chegou às 4h30 para não ter que enfrentar horas de espera como ocorreu nos últimos dias. Idosos acima de 60 anos, crianças de colo e deficientes físicos têm uma fila preferencial. A unidade começa a funcionar às 7h.

Doze mil e oitocentas pessoas foram vacinadas preventivamente contra a febre amarela desde sábado (21). A vacinação emergencial teve início após um macaco bugio ser encontrado morto com febre amarela silvestre no Parque Horto Florestal.

Prefeitura de São Paulo vai ampliar, a partir desta quarta-feira (25), para 33 o número de Unidades Básicas de Saúde (UBS) abertas para a vacinação preventiva contra a febre amarela na Zona Norte da cidade.

Ministério da Saúde enviou um milhão de doses da vacina contra febre amarela ao estado de São Paulo nesta segunda-feira (23) a fim de prevenir um novo ciclo após o surto da doença ocorrido no início deste ano, informou o órgão.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a expansão será feita gradualmente ao longo da semana e será somada às quatro unidades que já iniciaram a imunização no último sábado (21). O governo de São Paulo investiga se mais dois macacos encontrados mortos no Parque Horto Florestal, na Zona Norte, estavam com a doença. A suspeita foi divulgada pelo secretário estadual de Saúde, David Uip, nesta segunda-feira (23).

A vacinação será focada nos arredores porque o mosquito transmissor não tem muita autonomia de voo. "Quem deve ser vacinado são as pessoas que moram a 500 metros do Horto. Essa população de fronteira", disse Regiane de Paula, diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica. Segundo ela, por precaução, a campanha pode ser estendida para um raio de 1 km no futuro: "Temos doses para isso".

A gestão municipal afirma que estuda ampliar o horário de funcionamento das unidades.

Nesta primeira fase, a vacinação é indicada para pessoas a partir dos 9 meses de idade que residam a, no mínimo, 500 metros à frente da área de extensão dos parques do Horto e Cantareira (na segunda fase, deve ser ampliado a um raio de 1000 metros, e a terceira fase somente será definida após uma nova avaliação epidemiológica).

A dose não está indicada para gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e pessoas imunodeprimidas, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (portadores de Lúpus, por exemplo). Em caso de dúvida, é importante consultar o médico.

  • Medium 29cc65a125435183706840755331cadd