Luciano Pimentel celebra o Dia do Bancário na Alese

28 de Agosto de 2017, 20:56

O deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde dessa segunda-feira (28), para celebrar a passagem do Dia dos Bancários. Em seu pronunciamento, o parlamentar fez um comparativo com os lucros acumulados pelos bancos que, segundo ele, não seguem a mesma linha quanto à política de valorização salarial. O deputado chegou a prestar solidariedade aos bancários que estão sendo demitidos, apesar alto lucro dos bancos que apostam sempre no aumento da rentabilidade.

Ao iniciar seu discurso, Luciano Pimentel disse que a segunda-feira era um dia especial em sua vida. “Estamos comemorando o Dia dos Bancários, onde eu iniciei minha carreira profissional aos 18 anos no antigo Banco Econômico; depois segui para o Banco do Estado da Bahia e depois para o Banco Nacional da Habitação, sendo todos via concurso público. Em 2008, graças a um decreto presidencial, esse último foi incorporado à Caixa Econômica Federal”.

Em seguida, o deputado disse que no Brasil já se atingiu a marca de 1,1 milhão de bancários. “Estamos a seis anos de recessão nesse País, o que ocasionou a demissão de mais de 300 mil trabalhadores do sistema bancário. Somos 3,8 mil aqui em Sergipe, pessoas que ajudam no desenvolvimento da economia, fomentando crédito para a pessoa física e jurídica, que têm na sua labuta a manutenção de suas famílias. No meu caso em especial porque eu e minha esposa somos bancários”.

Luciano Pimentel enfatizou muito a satisfação por ter seguido esta carreira, inclusive pela importância que o bancário tem para a economia. Ele lamentou as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores, apesar do grande lucro dos bancos. “Os bancos possuem uma rentabilidade muito alta. Eu já tive a oportunidade de falar por diversas vezes sobre os juros do cartão de crédito e os bancários não seguem com a mesma política de valorização salarial”.

“Presto minha homenagem a todos os trabalhadores, em especial os sergipanos pelo magnífico trabalho que realizam pelo desenvolvimento do nosso Estado. Quero conclamar a compreensão da sociedade para a realidade desses profissionais que lutam, diariamente, para atender da melhor forma possível. Em 2015 os bancos tiveram lucro líquido de R$ 83 bilhões e são a atividade mais rentável do País. Chega a ser uma rentabilidade exagerada e que não repercute na vida dos trabalhadores”, completou o deputado.

Por fim, Luciano Pimentel destacou que em 2012 os bancos tiveram um retorno do patrimônio líquido de 13,13% e em 2015 de 15,37%. “O Banco do Brasil teve R$ 12 milhões de lucro em 2015, R$ 8 bilhões em 2016 e R$ 5 bilhões no primeiro semestre desse ano; a Caixa Econômica Federal teve, respectivamente, R$ 7,2 bilhões, R$ 4,1 bilhões e R$ 1,5 bilhão (1º trimestre de 2017)”.

“Já o Itaú teve em 2015 um lucro de R$ 23 bilhões, seguido de R$ 21,6 bilhões (2016) e de R$ 12 bilhões (1º semestre de 2017); o Bradesco teve lucros, respectivos, de R$ 16,8 bilhões, R$ 15,1 bilhões e R$ 7,9 bilhões (1º semestre de 2017). E os trabalhadores sendo extorquidos pela classe patronal dos bancos, contraindo doenças degenerativas, graças ao esforço repetitivo. E o pior: os bancos reduzindo o número de funcionários para aumentar a rentabilidade deles. Entre 2015 e 2016 o Itaú, o Santander e a Caixa demitiram três mil colaboradores cada; o Banco do Brasil demitiu nove mil! O Bradesco foi o único que contratou: 16 mil a mais”, concluiu o parlamentar.

 

Da Agência de Notícias Alese

Foto: Jadílson Simões

  • Medium f04aac1a4d374df41eb7b09c8ba20993