Jackson Barreto participa de V Seminário de Fé e Política Dom Helder Câmara

23 de Outubro de 2017, 10:24

O governador Jackson Barreto participou, na tarde desta segunda-feira, 23, da abertura do V Seminário de Fé e Política Dom Helder Câmara, promovido pela  Arquidiocese Metropolitana de Aracaju, através do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (Conal). O vice-governador Belivaldo Chagas também participou do evento. O encontro ocorreu no auditório do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/Se), das 14h às 18h. 

O seminário foi destinado aos representantes dos Poderes Executivo e Legislativo nas esferas municipal, estadual e federal. Com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Justiça e Paz se Abraçarão”, foi realizada uma palestra proferida pelo professor Marconi Aurélio da Silva, doutor em Ciências Políticas e bacharel em Comunicação Social. 

O objetivo foi estimular o debate entre os agentes públicos sobre as políticas públicas voltadas para o bem estar social que precisam ser empreendidas. Após a palestra, houve um debate com a participação do Arcebispo Metropolitano de Aracaju, Dom João José Costa e do procurador do Ministério Público e membro do Movimento Focolares Internacional, Carlos Augusto Alcântara Machado. 

O governador Jackson Barreto elogiou a iniciativa da Igreja católica de reunir as autoridades públicas para discutir as questões do povo e da sociedade de um modo geral.  "Ouvir todos os entes envolvidos de forma que o espírito associativo possa funcionar objetivamente na solução dos problemas que mais infligem a população, principalmente, as camadas mais pobres, é bastante louvável. A melhor forma de fazer caridade é na política. Por isso estamos aqui, menos para falar e mais para ouvir e, na medida do possível, atender as sugestões apresentadas", ressaltou.

"Dentro daquilo que está no limite das nossas possibilidades, poderemos atender aos pleitos apresentados, porque nós também temos que falar a verdade, temos que pisar no chão. Não temos o direito nem de sonhar, de enganar e nem de criar um mundo irreal. A crise também atingiu o nosso estado e temos nossas limitações", destacou. 

Como exemplo, Jackson Barreto informou que está com um projeto na Alese pedindo um financiamento à Caixa Econômica para a recuperação das rodovias do interior do estado, que hoje é o maior pedido das pessoas, uma vez que a vida delas está em jogo com as rodovias danificadas. Por outro lado, ele destaca que esse financiamento não vai resolver os problemas de escolas que precisam ser recuperadas, apesar do governo trabalhar para tal. 

"Sempre vai faltar algo, porque o poder público também não tem o poder da varinha de condão, de fazer milagre, só Cristo. Eu procuro caminhar nas pegadas de Jesus, mas não sou capaz de fazer milagres", revelou. 

O arcebispo de Aracaju, dom João José Costa afirmou que olhando as dificuldades que atravessa o País,  a Igreja achou que seria importante debater com as autoridades da política sergipana sobre  fraternidade e políticas públicas. 

"Se nós não temos consciência, se nós não temos justiça, dificilmente a gente vai ter paz porque a paz é fruto da justiça. Então, é fundamental que a gente pense em uma sociedade justa, onde as pessoas realmente tenham espaço de conviver e assim possam ter vida de qualidade e com certeza teremos mais paz. Nós vamos fazer um grande  debate e acreditamos que serão apresentadas propostas a serem apresentadas aos entes público presentes", salientou.

Para ele, se cada governo municipal e estadual cumprir o seu dever é possível mudar o mundo.  “Porque o mundo começa a mudar a partir de nós mesmos. Queremos que se possa pensar em ações concretas com a formação social para que esse mundo que a gente tanto ama seja a casa do bem viver, onde todas as pessoas possam viver realmente felizes", acentuou o arcebispo.

O presidente Tribunal de Contas, conselheiro Clóvis Barbosa, afirmou que a Instituição está sempre de portas abertas para as instituições que queiram trabalhar em prol da comunidade, em prol do povo sergipano.

"Nós estamos numa fase muito difícil. Estamos com o anuário socioeconômico que mostra índices muito ruins para o estado de Sergipe. E qualquer evento que vise  a melhorar essas condições, nós estaremos sempre aptos a colaborar, a contribuir e abrir nossas portas para que o debate seja formalizado", disse.

O palestrante Marconi Aurélio da Silva discorreu sobre o empenho da igreja católica e de outras instituições religiosas em traduzir a mensagem para a mudança e qualificação das políticas públicas pensando no bem estar coletivo, superando as adversidades ideológicas, a fragmentação dos partidos, tentando dar uma vertente mais comunitária à prática política que geralmente é conflituosa e tende a gerar grupos que se dividem em situação e oposição.

"Trouxemos uma reflexão sobre a necessidade de refundarmos a política embasada em novas dimensões que atendam aos anseios da população e que traduzam também a dimensão da efetividade dessa função do Estado. Isso se dá a partir de uma visão da política fundamentada no princípio da fraternidade e não tanto como uma disputa de partes, mas como a função de bem comum a partir da unidade das diversidades ideológicas e dos projetos políticos. Só assim a gente vai efetivamente desenvolver uma política que inclua todos, independente de credo religioso" salientou o professor. 

Segundo ele, o credo religioso faz parte da vida cultural, da vida humana, e deve ser levado em consideração. "Mas há um tempo que se procura evitar essa mistura entre o poder religioso e político, sendo o estado laico, mas não podemos negar que essa dimensão religiosa traz também elementos de incidência na política porque todos os cidadãos podem acreditar e devem acreditar, ter um referencial religioso, mas ao mesmo tempo também defendem ideias, defendem princípios, defendem visões de mundo e como fazemos parte de uma comunidade deve ser aberta essa comunidade a incluir essas visões diferentes. Queremos um mundo mais justo, fraterno e sustentável", concluiu.

Presenças 

Compareceram ao seminário o presidente da Câmara Municipal de Aracaju, vereador Nitinho Vitali; o deputado federal João Daniel; os deputados estaduais Morito Matos e Ana Lúcia; o vereador Iran Barbosa; os prefeitos de São Cristóvão, Marcos Santana e de Nossa Senhora do Socorro, Padre Inaldo; o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, além de assessores e representantes das prefeituras municipais. 

  • Medium 40dabc32566ebd01a3297ae987613b15