Governo de Sergipe promove atividades pedagógicas com internas do Presídio Feminino

01 de Março de 2018, 06:27

Com músicas, esquetes teatrais e palestras, dezenas de internas do Presídio Feminino (Prefem) participaram e foram protagonistas, nesta última quarta-feira, (28), de uma mostra pedagógica coordenada pelo Serviço de Educação de Jovens e Adultos da Secretaria de Estado da Educação (Seja/Seed) e realizada em parceria com a Secretaria de Estado da Justiça e de Defesa ao Consumidor (Sejuc).

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Intitulado ‘Projeto de Educação Prisional: Desenvolvimento e Competências para o Exercício da Liberdade´, o evento objetivou incrementar a prática pedagógica aplicada à ressocialização de sujeitos privados de liberdade e serviu ainda para que as alunas do EJA no Prefem apresentassem a outras internas do presídio um pouco do trabalho que têm desenvolvido nas aulas da Educação e Jovens e Adultos - Ensino Fundamental I.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Segundo a chefe do Seja/Seed, Aldjane Costa, as atividades apresentadas pelas internas do Prefem, alunas da EJA, nesta mostra pedagógica, marcaram o início do 3º Módulo do curso, que tem sido desenvolvido com aproximadamente 20 internas do sistema, e integram ainda o conjunto de atividades que a Seed a Sejuc realizará em março em alusão ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no próximo dia 8.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

"Ao realizarmos esta ação, reafirmamos o compromisso técnico-político e educacional do governo estadual com a melhoria da qualidade do ensino ofertado na EJA aos sujeitos privados de liberdade. As atividades desenvolvidas por meio deste projeto, aqui no Prefem, sem dúvida, influenciarão as condutas das internas, incentivando-as para uma boa reintegração na sociedade. Deste modo, é importantíssima a parceria institucional estabelecida entre a Seed e a Sejuc visando melhorar a aprendizagem em todo Sistema Prisional do Estado e fortalecendo as ações da EJA", destacou Aldjane Costa.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Linguagem artística

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

De modo a diversificar e complementar os conteúdos aprendidos em sala de aula, a Seed e a Sejuc estimulam os sujeitos privados de liberdade, por meio de projetos pedagógicos educacional, a desenvolverem em si habilidades e capacidades variadas, como as artísticas. Desde modo, as internas do Prefem, alunas da EJA na unidade prisional, a partir de uma crônica do escritor brasileiro Luís Fernando Veríssimo, montaram um esquete teatral na qual destacaram a importância da mulher na sociedade.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

De acordo com a professora da EJA no Prefem, Jucilene Lima Barbosa, as atividades de montagem desta encenação foram realizadas no decorrer da semana anterior à apresentação feita nesta quarta (28) para as demais internas atendidas por projetos pedagógicos no Presídio Feminino. "Costumo afirmar para minhas aulas internas que se elas tivessem buscado estudar quando estavam em liberdade, certamente não estariam hoje em um presídio. Com isso, afirmo que só a Educação pode ajuda-las a transformarem para melhor suas vidas", ressalta Jucilene.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Aos 34 anos, Raquel é uma das internas do Prefem que iniciaram o 3º Módulo da EJA nesta unidade prisional. Cursando esta modalidade de estudos há dois anos, Raquel afirma que pretende concluir toda as etapas da educação básica e, por este motivo, "busca aprender cada vez mais". "Hoje tenho consciência de que a educação pode mudar minha vida", frisou Raquel.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Além do esquete montado a partir da obra de Veríssimo, as internas apresentaram também jograis, desenvolvidos por elas mesmas, com auxílio da professora Jucilene, nos quais utilizaram-se de músicas e danças que elevam suas autoestimas. "Apesar de estar há muito pouco tempo estudando aqui dentro, já posso dizer que as aulas têm mudado para melhor meu comportamento e isso pode ser observado pelos que convivem comigo", conta Maria Rayane, interna do Prefem e aluna da EJA.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Com apenas 24 anos e já reincidente no sistema prisional, Maria Rayane afirma que não desperdiçará a oportunidade de estudar que lhe foi dada pela direção do Presídio Feminino. "Se tivesse estudado não teria entrado para a vida do crime. Agora estudando, espero estruturar minha mente e mudar minha vida para sair daqui uma pessoa melhor", completou a jovem interna.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

De acordo com o coordenador pedagógico da Sejuc, professor Genaldo Lima, além da EJA, as internas do Prefem participam também de outras ações e iniciativas educacionais e de ressocialização, como cursos de capacitação e de profissionalização. Para a diretora do Presídio Feminino, Andréa Fernanda Andrade, a educação transforma e, deste modo, a direção da unidade prisional busca incentivar e estimular as internas a participarem das atividades educacionais e pedagógicas desenvolvidas. "As atividades que ofertamos aqui visam fazer com que as internas aproveitem o tempo em que estão privadas de suas liberdades para aprenderem mais e com isso pode saírem daqui com novas perspectivas de vida", afirma.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Roda de conversa

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Para finalizar o evento, a equipe do Serviço de Educação de Jovens e Adultos da Seed proporcionou às internas do Prefem uma roda de conversa que teve como tema "O despertar do ser". Coordenada pelas técnicas pedagógicas Jackeline Vasconcelos e Silvaneide Vieira, a última atividade do dia levou apresentou para as internas, de forma lúdica, a importância que elas têm, não apenas enquanto mulheres, mas como condutoras de seus próprios destinos.

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Próximas ações

\r\n\r\n

 

\r\n\r\n

Em parceria, a Seed e a Sejuc realizarão, nos próximos dias 7 e 8, no Presídio Feminino, uma série de atividades alusivas ao Dia Internacional da Mulher, que terão como tema "Reflexões sobre o combate à violência contra a mulher". A programação conta com o apoio do Ministério Público do Estado de Sergipe e da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil/Seccional Sergipe.

\r\n\r\n

Fonte: ASN.

\r\n