Deputada Goretti Reis lamenta emenda que discrimina mulheres em concurso para agente prisional

17 de Agosto de 2017, 21:12

A presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Mulheres, deputada estadual Goretti Reis lamenta a aprovação do artigo 13 do projeto de lei de autoria do Poder Executivo que dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo de Guarda de Segurança do Sistema Prisional para a Secretaria de Estado da Justiça e de Defesa ao Consumidor (Sejuc). A proposta gerou polêmica por parte dos parlamentares que não concordaram com o percentual máximo de 25% na ocupação de vagas seja destinada a mulheres.

“Estabelecer um percentual máximo de 25% das vagas para serem preenchidas por mulheres na carreira de Guarda de Segurança do Sistema Prisional é uma discriminação e não podemos aceitar isso. Infelizmente a maioria optou pelo regresso por causa da prevalência da ideia machista e discriminatória neste artigo da lei. Em uma época em que estamos na busca incessante pela igualdade de gênero, é inadmissível essa falta de bom senso. A partir do edital o concorrente, independente do sexo, saberá para que área vai concorrer e se tem condições de passar nas provas, terá condições e habilidades para desempenhar as funções inerentes ao cargo. A mulher pode se submeter a uma perícia realizada por um homem e porque não ao contrário? Da forma que foi pensado não poderíamos ter mulheres nos quadros de delegados, promotores, desembargadores, entre outras profissões. Quem define a atividade que vai seguir é a mulher, onde ela quiser e se vai se submeter ou não ao ingresso no mercado de trabalho”,pontuou a parlamentar repudiando tamanha discriminação.

 

Fonte: Alese

  • Medium 4123cdb03a8ae3501629828057cb118e