Caminhão com 39 pessoas mortas é encontrado no Reino Unido

23 de Outubro de 2019, 08:37

Trinta e nove pessoas foram encontradas mortas dentro de um contêiner em um caminhão no parque industrial de Essex, no Reino Unido. O motorista, um homem de 25 anos da Irlanda do Norte, foi detido por suspeitas de homicídio.


O veículo teria saído da Bulgária e entrado em território britânico no sábado (19), e se tratava de um caminhão frigorífico, segundo informou nesta quarta-feira o diretor-executivo da Associação de Transporte Rodoviário do Reino Unido, Richard Burnett.


“As câmaras frigoríficas são escuras e, incrivelmente, frias. As temperaturas podem chegar a 25 graus abaixo de zero, em caso de transporte de produtos congelados”, relatou Burnett.


O diretor-executivo da Associação de Transporte Rodoviário ainda afirmou que, se as pessoas tivessem entrado vivas no veículo, para entrarem irregularmente no Reino Unido, era possível que não resistissem e morressem rapidamente.


Barnett, inclusive, garantiu que o uso de caminhões para levarem estrangeiros para outros países não é incomum.


“Isso joga luz para o perigo das máfias de imigrantes, que levam pessoas de maneira ilegal em caminhões”, afirmou.


“É um trágico incidente, em que um grande número de pessoas perdeu a vida”, afirmou o superintendente-chefe da polícia de Essex, Andrew Mariner. “A nossa investigação vai tentar descobrir o que aconteceu”.


As autoridades estão tentando identificar as vítimas, um processo, dizem, que será demorado.


“Pensamos que o caminhão é da Bulgária e entrou em nosso país,em Holyhead, no sábado”, disse Mariner. “Estamos trabalhando na investigação. O motorista do caminhão foi detido pela ligação ao incidente e está sob custódia da polícia, enquanto a é feita”.


Um cordão policial foi instalado no Parque Industrial Waterglade, em Thurrock, que permanece fechado.


Numa primeira reação, o primeiro-ministro britânico, que está a acompanhar a situação, afirmou que os seus “pensamentos estão em todos os que perderam a vida” e em seus familiares.


Em comunicado, a polícia de Essex esclarece que foram chamados por “colegas do serviço de ambulâncias pouco depois da 1h40 da manhã”, após a descoberta de um caminhão com “pessoas em seu interior no parque industrial de Waterglade”, em Grays.


Os serviços de emergência foram para o local ma, “infelizmente, 39 pessoas foram encontradas mortas no local”. Entra as vítimas estão 38 adultos e um jovem.


Nos últimos anos, muitos migrantes tentaram entrar no Reino Unido escondidos em caminhões ou em embarcações que atravessam o Canal da Mancha.


Diante do reforço das operações de controle da polícia na costa do estreito que separa a Grã-Bretanha do continente europeu, a Irlanda se torno o país de trânsito nas rotas dos traficantes de pessoas por sua fronteira aberta com o Reino Unido.


Tráfico de migrantes?


A polícia foi alertada durante a madrugada pelo serviço de emergência, que encontrou as vítimas, informaram as autoridades de Essex. O motorista do caminhão, um norte-irlandês de 25 anos, foi detido por suspeita de assassinato.


As forças de segurança estabeleceram um perímetro de segurança no local e fecharam os acessos à zona industrial de Waterglade, onde o veículo foi encontrado.


Para Richard Burnett, diretor executivo da Road Haulage Association, que representa os motoristas de caminhão no Reino Unido, “independente das circunstâncias do que aconteceu, elas destacam o perigo de que gangues transportem migrantes em caminhões de modo clandestino”.


“O tráfico de pessoas é um negócio vil e perigoso”, denunciou a deputada local Jackie Doyle-Price, antes de pedir que os assassinos sejam levados à justiça.


Em 2014, funcionário do porto de Tilbury, também em Essex, ouviram gritos e batidas dentro de um contêiner e encontraram 34 afegãos vivos, mas gravemente afetados pela desidratação, hipotermia e falta de ar.


Um ano depois, na Áustria, 71 migrantes foram encontrados mortos por asfixia no compartimento hermeticamente fechado de um caminhão abandonado em uma rodovia.


Procedentes da Síria, Iraque e Afeganistão, as vítimas – 59 homens, oito mulheres e quatro crianças, incluindo um bebê – eram transportadas da Hungria para o oeste da Europa por um grupo de traficantes que os embarcou perto da fronteira com a Sérvia.


A tragédia, que aconteceu em plena crise dos refugiados na Europa, comoveu a opinião pública internacional.


FONTE: EXAME.