Câmara setorial vai discutir soluções para citricultura sergipana

05 de Outubro de 2015, 06:15

Foram empossados na manhã desta sexta-feira, 02, os membros da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Citros, instalada pelo Governo do Estado por meio do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável, para discutir os problemas da citricultura sergipana e apontar soluções. O governador em exercício, Belivaldo Chagas, e o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, assinaram o termo de posse em solenidade realizada no auditório da Empresa de Desenvolvimento Agrário de Sergipe (Emdagro), com a presença de representantes dos diversos órgãos parceiros na iniciativa.
\r\n
\r\nO suco de laranja é hoje o principal produto de exportação do estado, a laranja é o terceiro produto em valor de produção, sendo a citricultura a principal atividade econômica da região centro-sul. Apesar desse potencial, o setor não tem mostrado evolução econômica nas últimas décadas. Visando aumentar a sua competitividade, além do desenvolvimento de toda a cadeia produtiva, a Câmara Setorial será posta em prática para orientar e discutir políticas, estratégias e diretrizes relativas à produção, industrialização e comercialização de frutas cítricas.
\r\n
\r\nBelivaldo Chagas, que também integra o Conselho Administrativo da Emdagro, celebrou a ação e fez questão de estar presente no ato. Para ele, essa foi mais uma demonstração de que, apesar da situação difícil que o país enfrenta, Sergipe não está parado. “Temos um banco de bons projetos, temos ações sendo desenvolvidas. Há obras em andamento, em licitação, nós vamos continuar aquecendo a economia para que a população não sofra e Sergipe continue trilhando no caminho do desenvolvimento”, ressaltou.
\r\n
\r\n“Nas reuniões do Conselho de Administração, na qual faço parte enquanto secretário da Casa Civil, aprendi a admirar mais ainda o trabalho da Emdagro pela preocupação contínua com as ações da agricultura como um todo, em especial para a região citrícola do nosso estado. Que possamos usar a criatividade e, sobretudo, da união para encontrar a saída. Quando chego aqui hoje e ver essa instalação dessa câmara, que vai tratar especificamente do setor, penso sobre a sua importância, pois dessas conversas saem sugestões e esclarecimentos de como melhorar a comercialização, o combate as pragas, a produção. Com ela instalada, as discussões, as reclamações do setor serão automaticamente apresentadas ao governador Jackson Barreto, que, assim como eu,  se preocupa e acredita na citricultura sergipana”, completou o governador em exercício.
\r\n
\r\nAlém da Seagri e Emdagro, dela farão parte também representantes da Sedetec, Seed, SEIDH, Semarh; Cohidro, Pronese, Codise, Adema e Banese. Do Governo Federal serão convidados para compor a Câmara Setorial: o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Codevasf, a Embrapa, a Conab e o Incra.

\r\n\r\n

Atuação
\r\n
\r\nPara o diretor-presidente da Emdagro, Gerson Carvalho, é um momento de valorização da citricultura, que é um dos setores que mais gera benefícios para o estado. “Esse evento é de importância fundamental, onde a câmara está se concretizando, mas não está iniciando hoje, desde 2010 que nós já fazemos um trabalho de discussão com a citricultura e obtivemos várias informações a serem trabalhadas por ela e seus membros”, pontuou.
\r\n
\r\nO secretário da Agricultura, Esmeraldo Leal, destacou a ação conjunta para fortalecer o setor. “A lista dos participantes da câmara setorial é muito grande e isso é muito bom, que seja ampla e com todos participando. Ela surgiu a partir das primeiras visitas que fizemos aos produtores da região de Boquim, Arauá, Estância e Lagarto. Nossa função foi então resgatar esta documentação e transformar isso numa ação efetiva, prática, mas espera contar com todos para que possamos responder à altura a todos os problemas da citricultura”, disse.
\r\n
\r\nDiagnóstico
\r\n
\r\nDurante o evento, o diretor de Assistência, Gismário Nobre fez uma introdução do trabalho de pesquisa realizado em 17 municípios de Sergipe que tem maior relevância na produção de citros. “A citricultura sempre liderou a pauta de exportação de Sergipe. Ainda hoje apresenta do ponto de vista econômico, essa posição. Os dados, junto a câmara, vão nortear as ações da política do estado para reforçar o setor. A ideia de construir o diagnóstico surgiu  da reunião da rede, envolvendo cerca de 30 técnicos e pesquisadores da Emdagro, apresentou questionários, quase um censo sobre a realidade da citricultura atual”, informou.

\r\n\r\n

Os dados do diagnóstico da cultura citrícola no estado de Sergipe foram apresentados pelo pesquisador e economista da Embrapa Márcio Almeida, e mostraram um retrato analítico que resultaram de 394 questionários respondidos em mais de 10 mil estabelecimentos agrícolas no leste e agreste sergipano. Além da produtividade, os questionários também levantaram questões relativas à escolaridade dos produtores, acesso a internet, participação em organizações, média familiar, entre outros, que subsidiarão as ações de investimento dos governos.
\r\n
\r\nEstiveram presentes o deputado federal João Daniel, o representante do MDA, Túlio Nunes, o procurador do Trabalho Adroaldo Bispo e Edson Caetano, representando o Banese.

\r\n