Barragem rompe no MT e evidencia problema estrutural na mineração

02 de Outubro de 2019, 08:35

A novela dos rompimentos de barragens de mineração no Brasil parece não ter fim. O empreendimento TB01, de lavra de ouro da VM Mineração e Construção, se rompeu nesta terça-feira, 1º, deixando dois funcionários feridos no município de Nossa Senhora do Livramento, em Mato Grosso. Com categoria de risco baixo e dano potencial associado também baixo, segundo classificação da Agência Nacional de Mineração (ANM), o episódio só escancara o problema estrutural das barragens no país.


De acordo com a agência, a barragem tinha 15 metros de altura e 582,1 mil metros cúbicos (m³) de rejeitos de ouro quando cedeu e o método de construção é alteamento a jusante, que é feito com o objetivo de reduzir os riscos de desabamento. A barragem está no nome de Marcelo Massaru Takahashi, sócio da VM Mineração.


Conforme EXAME apurou, a maioria dos garimpos na região é feita de forma irregular. “Os rejeitos são dispostos sem um controle de profissionais habilitados em grande parte da região”, afirma uma pessoa com conhecimento da operação.


Segundo nota da ANM, a estrutura cedeu pouco antes das 9 horas da manhã e os técnicos da agência constataram que “o material escoou por uma área que varia de 1 a 2 quilômetros a partir do pé do talude onde ocorreu a ruptura do barramento.”


FONTE: EXAME.