Bancos oferecerão serviços públicos online em parceria com governo

02 de Dezembro de 2020, 12:13

LEIA A SEGUIR



Com o objetivo de dar prosseguimento em ações de modernização digital no Brasil, o Ministério da Economia iniciou negociações com bancos do país para levar mais de 2,4 mil serviços públicos para a plataforma online destas instituições. Nesta semana, a iniciativa contou com a entrada do primeiro banco privado, o Bradesco. Banco do Brasil e Banrisul também já estão disponibilizando alguns serviços.


A intenção é que usuários não precisem redefinir senhas e logins para ter acesso às funções. Por isso, o governo Federal pretende aproveitar as plataformas já existentes dos bancos brasileiros. Nelas, os correntistas poderão realizar pedidos de limpeza urbana, pagamento de IPVA, emissão de extrato do INSS, consulta de multas da carteira de motorista, solicitação de passaporte, entre vários outros serviços públicos online.


Fachada do Ministério da economia na Esplanada dos Ministério da Economia
Iniciativa do Ministério da Economia quer oferecer mais serviços de forma online por meio da plataforma dos bancos brasileiros. Créditos: Marcello Casal Jr/Agência Brasil


Algumas aplicações deverão ser oferecidas já no próximo ano, à distância via internet, como a prova de vida do INSS e a identidade digital.


Cabe destacar que apesar de 13 estados e 74 municípios já estarem integrados ao governo neste sentido, o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Mario Paes de Andrade, disse que outros bancos, públicos e privados, também estão inseridos neste cronograma.


Números


Todo o projeto do governo Federal foi baseado em dados de acesso a serviços digitais online. O ministério aponta que 88 milhões de atendimentos por ano deixaram de ser presenciais nas agências de órgãos públicos. Esta queda significativa também pode ter sido incentivada pelo próprio governo, que nos últimos anos vem estabelecendo estratégias para atendimento online, como, por exemplo, a emissão de documentos. Neste ponto, cabe considerar os mais de 60% dos 4 mil serviços do governo Federal que são digitais.



Serviços como pagamento de IPVA, consulta de multas e outras solicitações poderão ser feitas direto do smartphone. Créditos: Aliaksei Kruhlenia/Shutterstock


Segurança


De acordo com o Ministério da Economia, o acesso ao gov.br por meio de uma conta bancária será utilizado somente se o cliente permitir. Andrade também ressaltou que esta autorização poderá ser cancelada por parte do usuário a qualquer momento.


“O governo autentica as pessoas num único lugar e, a partir daí, elas podem conseguir tudo que estão procurando (de serviço público) na plataforma”, lembrou o secretário.


Seja como for, o titular da Desburocratização, Gestão e Governo Digital também falou sobre o aspecto segurança que segundo ele, contará com as melhores práticas para combater ataques cibernéticos. “Estamos muito atentos para proteger os dados do cidadão, das empresas e do governo”, finalizou.


FONTE: OLHAR DIGITAL.